A Terapia com EMDR (Eyes Moviment Desensitization and Reprocessing), em português: Dessensibilização e Reprocessamento por meio dos Movimentos Oculares, foi desenvolvida nos Estados Unidos pela Dr. Francine Shapiro, no final de 1980 e inicialmente era indicada para casos de traumas (abuso sexual, sequestros, guerra, desastres, TEPT – Transtorno de Estress pós-traumático), porém hoje se aplica para diversos outros casos de sofrimento (luto, dores crônicas, violência psicológica, entre outros).

O tratamento com EMDR, apresenta excelentes resultados, e sua eficácia é reconhecida pela OMS  (Organização Mundial da Saúde).

Para conhecer mais, acesse: http://www.emdr.org.br/

Como funciona o EMDR em seu cérebro? (acesse este vídeo, para saber mais)

Podemos tratar traumas diversos com o  EMDR,  que ocorreram, muitas vezes, quanto criança, mas que ainda atrapalham a vida do adulto, pois o que acontece na infância, não fica na infância. Alguns exemplos:

  • Bullying;
  • Dificuldades vivenciadas no relacionamento afetivo com pai, mãe, cônjuges e outras pessoas significativas;
  • Violência psicológica, abuso moral;
  • Violência Sexual;
  • Perdas de qualquer natureza;
  • Fobias e medos paralisantes (medo de dirigir, elevador, andar de avião, tomar injeção etc)
  • Pensamentos limitantes que impedem o pleno desenvolvimento e fluxo na vida: Ex. “Não mereço ser feliz”, “Sou fraco”, “sou impotente”, entre tantos outros pensamentos irracionais construídos a partir de experiências antigas e que impedem novas conquistas.

Minha experiência com EMDR:

“Antes de fazer a formação, tive curiosidade em saber como este tratamento funcionaria comigo (na verdade, esta é uma maneira que trabalho: vivencio o processo antes de me especializar e replicar). Então, me submeti a uma Terapia com EMDR para cuidar de algumas questões pontuais que ainda me incomodavam. De fato, fiquei impressionada com os resultados e com as mudanças profundas que a técnica proporciona. Depois de vivenciar o processo, fiz a formação com a Dra.  Esly Carvalho em Brasília, a responsável por trazer o EMDR ao Brasil  e estudou com a Dra. Francine Shapiro. Desde então, venho utilizando o EMDR, como um recurso a mais nos meus atendimentos, e os resultados tem sido surpreendentes, tanto para mim quanto para os clientes. Ambos ficamos felizes com os resultados e mudanças significativas que o EMDR contribui no processo psicoterapêutico tradicional.”  (Luciana Escarmanhani)

Caso queira saber mais, entre em contato.

Abraços,

Luciana Escarmanhani

Category
Tags

No responses yet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *