Os conteúdos aqui apresentados são úteis para nossa vida como um todo, não somente no momento atual em que vivemos com a pandemia do COVID-19.

Eventualmente somos surpreendidos por algo que está fora de nosso controle e do qual não estamos livres, mas podemos ser livres na escolha de atitudes para lidar com esta e outras situações.

.

Em 2010 quando li o livro “Em Busca de Sentido” pela 1ª vez, uma das definições que me chamou atenção, além da Busca de Sentido propriamente dita, foi sobre a nossa liberdade de escolha diante de qualquer contexto e da responsabilidade pela nossa própria vida, cabendo a cada um moldar e continuar a própria história, saindo de uma postura de vítima do passado, e ser protagonista, tornando-se quem deseja ser. Simplesmente, não somos livres de (dos eventos externos a nós), mas somos livres para (liberdade de agir frente às adversidades da vida). Aqui encaixa perfeitamente a frase do filósofo existencialista Jean-Paul Sartre: “não importa o que a vida fez com você, o que importa é o que você faz com o que a vida fez com você”.

Quanto mais estudo, mais vontade tenho de compartilhar, pois a Logoterapia conversa com o ser humano em seus diversos contextos, nos ensinando como viver uma vida com sentido!

Espero que o texto, bem como o vídeo disponível no meu canal do youtube, possa contribuir de alguma maneira com você.

Boa Leitura e ótimas Reflexões!

Quem foi Viktor Frankl?

Importante conhecer quem foi Viktor E. Frankl antes de falar da teoria, pois ele e sua obra estão inteiramente relacionados.

  • Viktor Frankl (26/03/1905 – 09/09/1997), foi o fundador da Logoterapia, publicou 32 livros, traduzidos para 27 línguas.
  • Nasceu em Viena de uma família judaica, viveu as consequências da 1ª Guerra Mundial quando tinha 12 anos, e aos 13 anos começou a se questionar sobre o sentido da vida. Aos 16 anos, apaixonou-se por Filosofia e, mesmo tão jovem, deu uma palestra na Universidade Popular sobre o Sentido da Vida. No Ensino Médio, começou a se corresponder com Freud por cartas (infelizmente, todas as cartas foram confiscadas pela Gestapo). Formou-se em medicina, especializou-se em psiquiatria e neurologia sendo professor de Neurologia e Psiquiatria na Universidade de Viena e de Logoterapia na Universidade Internacional da Califórnia.
  • Aos 33 anos, a Áustria sofreu a invasão pelos nazistas e aos 37 anos, em 1942, foi para o campo de concentração por conta da perseguição dos nazistas aos judeus. Seu pai, mãe, irmão e esposa, morreram nos campos de concentração.  
  • Seu primeiro livro publicado e mais famoso é o “Em Busca de Sentido”, onde faz um relato de toda a sua experiência nos 4 campos de concentração e apresenta as bases principais de sua teoria, bem como sua comprovação nos campos. Curiosamente não queria colocar seu nome na publicação deste livro, mas mudou de ideia por insistência de seus amigos. Este livro foi escrito em 09 dias, após o fim da 2ª Guerra Mundial, com a libertação dos prisioneiros dos Campos de Concentração em 27 de abril de 1945. É um dos livros mais vendidos no mundo, traduzido em 18 idiomas, 73ª edição em inglês, vendeu mais de 2 milhões e meio de exemplares, foi escolhido 5 vezes como o “livro do ano” por diversas faculdades dos Estados Unidos e, na maioria delas, é leitura obrigatória.
  • Deu conferências no mundo por 4 décadas em mais de 200 universidades em todo o continente, foi condecorado 29 vezes com o título de doutor honoris causa na Europa, Ásia, África, América do Norte e Sul, nomeado para o Prêmio Nobel da Paz, foi membro de honra da Academia Austríaca de Ciências, entre outros.
  • Considerando sua contribuição para o campo da Psicologia, e apresentar seu relato de experiência como sobrevivente a 4 campos de concentração, um dos eventos mais cruéis da humanidade, penso que, no mínimo, temos algo para aprender com ele não é?
  • Uma das observações que ele faz na teoria e em sua vida é de que “a vida tem um sentido potencial sob quaisquer circunstâncias, mesmo as mais miseráveis”. (Frankl, 2008, pag. 10)
  • Outra citação interessante que faz é: “Escrever um livro não é uma grande coisa, saber viver é muito mais e ainda mais é escrever um livro que ensine a viver. Mas o máximo é viver uma vida sobre a qual se possa escrever um livro.” (Frankl, 2010, pág.09)

Este é um breve resumo da pessoa Viktor Frankl, você pode encontrar muito mais sobre ele nos livros. Minha motivação e identificação com a teoria se dá pela sua maneira de viver experiências difíceis, aprender, superar e ainda apresentar como ensinamento para nós, nos ajudando a viver uma vida com sentido. Se você quiser saber mais sobre ele, vale a pena a leitura do livro citado abaixo, de onde extraí as informações deste ítem.

Fonte: FRANKL, Viktor. O que não está escrito nos meus livros: memórias. São Paulo: É realizações, 2010.

O que é a Logoterapia?

O termo “logos” é uma palavra grega e significa “sentido”! A Logoterapia, concentra-se no sentido da existência humana, bem como na busca da pessoa por este sentido. Para a Logoterapia, a busca de sentido na vida da pessoa é a principal força motivadora no ser humano. É considerada a 3ª escola Vienense de Psicoterapia, a 1ª é a Psicanálise de Freud, com a Busca do Prazer, a 2ª é a Psicologia Individual de Adler, Busca do Poder, e a 3ª é a de Viktor Frankl, a Busca de Sentido.

A Busca do Sentido na Vida

  • O sentido é singular, pessoal e exclusivo, ou seja, ele difere de pessoa para pessoa e não pode ser transferido a outro e nem copiado de alguém. Desta maneira, quanto mais nos conhecermos em nossa profundidade, mais possibilidades temos de viver com sentido, agindo com liberdade e responsabilidade. (Frankl, 2008, pag. 133)
  • O sentido também é contextual, ou seja, ele muda de um dia para o outro, de uma hora para outra, é dinâmico e concreto. Embora ele se modifique, não deixa de existir. A pessoa responde por si com suas escolhas de atitudes, em seus atos perante ao que a vida lhe apresenta. E como a vida é de natureza dinâmica, logo o sentido também o é.  
  • O sentido é concreto e é realizado no mundo, ou seja, não se deveria procurar um sentido abstrato da vida, cada pessoa precisa executar uma tarefa concreta, que está a exigir realização. Em cada circunstância da vida, somos convidados a agir de maneira concreta e com sentido. “…o verdadeiro sentido da vida deve ser descoberto no mundo, e não dentro da pessoa humana ou de sua psique, como se fosse um sistema fechado.” (Frankl, 2008, pag. 135)

“O que importa, por conseguinte, não é o sentido da vida de um modo geral, mas antes o sentido específico da vida de uma pessoa em dado momento. Formular esta questão em termos gerais seria comparável a perguntar a um campeão de xadrez: “Diga-me, mestre, qual o melhor lance do mundo?” Simplesmente não existe algo como o melhor lance ou um bom lance à parte de uma situação específica num jogo e da personalidade peculiar do adversário.” (Frankl, 2008, pag. 133)

As 3 maneiras para encontrar sentido

Segundo a Logoterapia podemos encontrar sentido de 3 maneiras:

  1. Criando um trabalho ou praticando um ato;
  2. Experimentando algo ou encontrando alguém (experimentando e vivenciando algo como a bondade, a verdade e a beleza, a natureza e a cultura ou, ainda ou encontrando alguém, outro ser humano em sua originalidade única, amando-o)
  3. Pela atitude que tomamos em relação ao sofrimento inevitável (quando nos deparamos com uma situação que não pode ser mudada, podermos transformar uma tragédia/sofrimento em uma conquista humana, o que não quer dizer que não sofremos, inclusive precisamos ter coragem para sofrer, mas podemos ter uma atitude frente ao sofrimento, transformando-o em triunfo).

“Quando já não somos capazes de mudar uma situação incurável, como um câncer que não se pode mais operar -, somos desafiados a mudar a nós próprios”. (Frankl, 2008, pag. 137)

Conclusão

Por fim, espero que este breve texto, de uma obra tão rica e profunda, possa ter contribuído de alguma maneira para que você possa ter pistas de como viver uma vida com sentido.

Lembrando que o sentido não é algo abstrato que vive somente dentro de sua psique, mas que é algo realizado no mundo, no encontro com o outro e deixando algo para o mundo, além da nossa capacidade humana de sofrer e encontrar sentido até mesmo no sofrimento inevitável.

Entre em contato com você, no seu lado mais humano e profundo e observe se se está usufruindo de seus talentos e concretizando-os em atos a favor de algo ou alguém, esta é uma das maneiras de realizar sentido. Outra maneira diz respeito às relações afetivas e experimentando o contato com o outro, com a natureza, com a existência da vida, com o amor. E por último, observar suas atitudes frente as questões que você não pode mudar, estas podem nos servir como aprendizado e serem transformadoras, dependendo da maneira como encaramos cada uma delas.

Um grande abraço e desejo que este texto também lhe faça sentido, assim como o mesmo fez para mim.

Escrever este texto e publicar os vídeos, fazem parte de  uma vida com sentido, compartilhando informações com o intuito de contribuir para que outras pessoas possam realizar sentido em suas vidas. Para se aprofundar mais, vale a pena ler o livro!

Referências Bibliográficas:

FRANKL, Viktor E. Em Busca de Sentido: um psicólogo no campo de concentração. 25 ed. – São Leopoldo: Sinodal;.Petrópolis: Vozes, 2008

FRANKL, Viktor E. O que não está escrito nos meus livros: memórias. – São Paulo: É Realizações, 2010

Autora do texto: Luciana Escarmanhani, psicóloga clínica, CRP: 06/65.601. www.lucianaescar.com.br – youtube:Luciana Escar

Tags

No responses yet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *